quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Notícias e costumes

Para o alemão, pelo que pude perceber nos últimos dias, é quase regra ser apresentado a uma pessoa para ser amigo dela. Aliás, amigo não, um conhecido inicialmente e, depois, quem sabe, algo mais. É preciso obedecer um protocolo nas relações, sejam elas profissionais ou não. Isso, à princípio, me pareceu estranho. Fiquei, por exemplo, praticamente uma semana sem ter acesso ao jornal. O chefe precisou estar na redação para me receber.

Bom, agora estou mais adaptado e as coisas fluem com certa facilidade. Sei que não posso chamar qualquer um na rua de *você* e *tu*. É *senhor* e *senhora* acrescentado, claro, do sobrenome. Caso lhe tenham dito o primeiro nome, aí sim você pode tratar quem quer que seja de um jeito, digamos, mais próximo. Do contrário, não faça isso porque terá sido uma espécie de ofensa. Nós, brasileiros, jamais iremos entender. No entanto, respeitar é regra.

Por falar em regra, o famoso *chá das cinco* não é só costume de Inglês. É costume europeu. Aqui na Alemanha, as pessoas tomam chá todos os dias e eu também, afinal, acabei inserido na cultura deles. O cheiro é bom (ótimo!), o sabor um pouco estranho para um valadarense como eu, tão acostumado com refrigerantes... hehehe...

Aliás, a comida daqui me surpreendeu. É muito boa. Há pães e bolos de tudo que é tipo e o chucrute é simplesmente maravilhoso. Tem algo doce no meio. Comi umas duas vezes. Ah, e tem também uma carne aqui que chamam de Schnitzel que é PERFEITA! É um bife enorme e empanado de carne de porco.

Mas as refeições, de um modo geral, são até meio parecidas. Café da manhã dos alemães, por exemplo, sempre tem pão, marmelada, salames variados, aveia e chá. O gosto de tudo isso é que é outro e eles não comem tanta fruta. É coisa rara por aqui né... O almoço é que é realmente diferente. O costume é tomar sopa, comer batata cozida amassada (ou não) e macarrão. Nada de arroz e feijão. E se aí no Brasil é uma *desfeita* colocar sal na comida, aqui não só é normal como encaram isso, inclusive, como necessidade. Não é um desrespeito ou qualquer sinal de grosseria. Fique tranquilo... hehehe...

Já no jantar, tudo depende do momento. Se houver alguma comemoração, champagne; se for um dia normal, cerveja, vinho e água com gás. Além disso, alguns biscoitos e Wurst (linguiça, salsicha, etc).


Jornalismo

Quando caminhava de volta para casa, ainda ontem, me lembrei de como os valadarenses têm curiosidade em ver acidentes, saber quem foi preso com o quê, e de como os jornalistas precisam alimentar esse público porque, naturalmente, é a função mercadológica deles (ligeiramente social). Por aqui, só tive surpresas. Os espaços destinados a esse tipo de assunto são mínimos e em algumas edições nem sequer existem.

Mas não devemos nos iludir. Isso é um fato cultural. Na Alemanha, o que interfere na vida das pessoas não é o que acontece nas delegacias. É uma estrada interditada, um trem que atrasa, uma família que ficou presa no trânsito por causa da neve, etc. No inverno, as pautas sempre giram em torno do clima e das condições de tráfego. Todos querem saber se podem sair de casa no outro dia e como devem sair. Ou seja, não dá para fazer comparações. No Brasil, isso só seria matéria em época de feriado ou quando houvesse algum problema específico para ser mostrado. O leitor, ouvinte, telespectador não precisa se preocupar com um frio de -10.

Outro detalhe é que a violência aqui é catastroficamente desproporcional à do nosso país. Não existem roubos cinematográficos, crimes cruéis, crianças violentadas, quadrilhas. Enfim, vou parar porque o sono chegou. Inteh!

5 comentários:

  1. AGORA EU QUERO MAIS! VOCE FOI A KÖLNER DOM? POR FAVOR PONHA AO MENOS UM "FOTINHA" DAQUELA MARAVILHA DE TIRAR O FÔLEGO! Viu o relicário dos Reis Magos? Sobreviveu a tanta beleza?
    Tô adorando o blog.Sei que muita gente tem visitado, porém poucos deixam um recado.Coisas de valadarenses invejosos! (Sorry, Periferia!)
    Abração e curta muito a neve que aqui tá um inferno com as temperaturas chegando facilmente aos 40 graus.

    ResponderExcluir
  2. Ah, obrigado Harley!!!... Olha, eu ainda nem tenho realmente texto pra escrever sobre aquela catedral... é um negócio de doido... nossa... sem explicação... por agora, infelizmente, ainda não tenho como postar foto, mas assim que estiver em GV mostro todas... heheheh... abraço!

    ResponderExcluir
  3. Gritante os critérios de noticiabilidade! Os costumes... E os cinco anos, se bem que com qualidade tem como ir até dez anos!rs

    ResponderExcluir
  4. O primeiro mundo pensa na qualidade .... pena que no Brasil algumas universidades não pensem assim , só pensa nos valores que os alunos pagam ...

    ResponderExcluir